Camilo Cavalcante

Nascido em Recife (Pernambuco, Brasil), Camilo Cavalcante é produtor, roteirista e diretor. Em 2014, realizou A HISTÓRIA DA ETERNIDADE, seu primeiro longa-metragem, que estreou no Rotterdam International Film Festival e recebeu 28 prêmios, participando também de diversos eventos como Mostra Internacional de São Paulo, Festival de Havana, Durban International Film Festival, Festival de Cinema de Ayacucho, Cineteca de México, Fest IN Lisboa, Ourense Film Festival, entre outros. Em 2020, o roteiro original do filme foi publicado em livro pela CEPE – Companhia Editora de Pernambuco sendo finalista do Prêmio Jabuti na categoria artes.

Em 2020 produziu, escreveu e dirigiu seu segundo longa de ficção, KING KONG EN ASUNCIÓN. Filmada na Bolívia, no Paraguai e no Brasil, a produção ganhou 18 prêmios, entre eles, Melhor Filme (Júri Oficial) e Prêmio do Público no 49º. Festival de Gramado. Além de ser exibido no México, no Paraguai, na Inglaterra, nos EUA, no Chile, em Portugal, na Espanha, na Bolívia e na Itália, o filme foi lançado no circuito comercial de cinema no Brasil em 2021 e nos streamings Globoplay, NET NOW, Oi Play, VIVO Play, em 2022. Também faz parte do acervo da Emirates Airlines.

Produziu e realizou o documentário BECO (2019), que estreou na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo e foi selecionado para o PERSO-Perugia Social Film Festival, na Itália. Em parceria com Cláudio Assis, dirigiu também o documentário EU VOU DE VOLTA (2007), com incentivo do Programa Rumos, promovido pelo Itaú Cultural.

Na televisão, roteirizou e dirigiu a série LUZ DO SERTÃO – 100 ANOS DE LUIZ GONZAGA, exibida em 2013, pela REDE GLOBO NE. Criou, produziu e dirigiu duas temporadas da série OLHAR, exibidas pelo Canal Brasil, TV Pernambuco, TV Universitária, TVE Bahia e TVT. Também roteirizou e dirigiu sete episódios da série documental ÍNDIOS NO BRASIL (2017) e três episódios de ANJOS HUMANOS (2018), exibidas na rede pública nacional de emissoras de televisão. Foi um dos realizadores do documentário 5 VEZES CHICO – O VELHO E SUA GENTE (2016)exibido pela Globo News.

É roteirista, produtor e diretor de 14 curtas-metragens, entre os quais HAMBRE HOMBRE (1997); OS DOIS VELHINHOS (1997); LEVIATÃ (1999); MATARÁS (1999); ALMA CEGA (1998); AMORTE (1999); AVE MARIA OU MÃE DOS OPRIMIDOS (2003); O VELHO, O MAR E O LAGO (2000); A HISTÓRIA DA ETERNIDADE (2003); RAPSÓDIA PARA UM HOMEM COMUM (2005); O PRESIDENTE DOS ESTADOS UNIDOS (2007); AVE MARIA OU MÃE DOS SERTANEJOS (2009) e MY WAY (2010). Estes curtas receberam mais de 130 prêmios em mostras e festivais de audiovisual no Brasil e no exterior.

Para teatro, dirigiu o monólogo O CÃO SEM PLUMAS (2009), do poema de João Cabral de Melo Neto. No campo de instalações artísticas, produziu e realizou RETRATOS (2016), em exposição permanente no Museu Cais do Sertão, no Recife; LUME (2018) e SAMSA ESTEVE AQUI (2022) que foram expostas na Universidade da Beira Interior e no New Hand Lab, em Portugal. Ainda realizou as instalações QUE O SANGUE DERRAMADO SEJA SEMENTE DA LIBERDADE (2023), em exposição no Memorial da Democracia, no Recife, e FENDAS DE PRESENÇA#1:SOLIDÃO PLÁSTICA (2023), que foi exposta no New Hand Lab.

É coroteirista do longa NOITES ALIENÍGENAS (2022), dirigido por Sérgio de Carvalho, vencedor do 50º. Festival de Cinema de Gramado.

RUA AURORA-REFÚGIO DE TODOS OS MUNDOS (2023),seu longa mais recente, estreou no 28º. É Tudo Verdade – Festival Internacional de Documentários de São Paulo.No momento está finalizndo o longa ficcional O PALHAÇO DE CARA LIMPA, com previsão de lançamento para 2024.

Atualmente, Camilo transita entre Brasil e Portugal, onde cursa o doutoramento em Media Artes na Universidade da Beira Interior, pela qual é também Mestre em Cinema. Possui graduação em Jornalismo pela Universidade Federal de Pernambuco, estudou Roteiro Cinematográfico na Escuela Internacional de Cine y TV de San António de Los Baños, Cuba, e tem curso de extensão em Transcinema: Cinema, Pintura e Arte Contemporânea pela PUC-Rio.

To top